Em portugal não se come mal

É  o titulo de um livro de Miguel Esteves Cardoso que resume vários anos de crónicas do autor sobre comida .

Para quem conhece MEC, o livro não desaponta e cada crónica é riquissima em preciosas informações mas também fortemente marcadas pelo seu conservadorismo.

O autor é contra a comida de fusão e outras modernices,.

Mas quiça não terá razão?.

Muitas das vezes deixamo-nos ir pela exelente apresentação do prato, ou pelo deslumbramento da “pevide moida por 3 virgens” ou que –  aqui no meu restaurante faço um acompanhamento XPTO .. mas, e a batata frita? é bem frita? e o arroz? é bem feito? É que normalmente levamos com cada arroz que até mete dó. ou então não há! Mas há alguma coisa mais portuguesa que comer arroz?

Diz o autor que é hoje quase impossivel encontrar quem faça uns bons pasteis de bacalhau.

E é verdade!

Não há bons pasteis de bacalhau em nenhum restaurante que conheça (há uma exepção que até confirma a regra)

e os que o fazem não são reconhecidos como tal e até eles próprio0s não dão importancia a isso – porque qualquer pessoa pode comprar os congelados e fazê-los em casa-

Mas tem alguma coisa a haver?

Os melhores pasteis de bacalhau que comi este ano foi no colmeia grill – Já lá fui variadas vezes atrás dos mesmos e nunca mais os apanhei. Porquê? porque não são valorizados. Mas que eu desloquei-me de propósito lá para isso, lá isso foi.

Mas quem diz o pastel de bacalhau, diz dos vários pratos que são portugueses e que hoje são “reinterpretados” e “fundidos” . Mas um arroz de peixe como deve ser já escaceia.

Honra seja feita ao Ver de Mar que tem um arroz de peixe fabuloso, mas tudo o resto, ou não o faz, ou atira-se para paellas e outra espanholices.

Concordo com o MEC quando diz que se está a perder o que é genuino. Perdem-se o saber fazer. Perdem-se os restaurantes “chavões” em que se vai ao tal comer aquilo.

Perde-se a mestria proporcionada por anos e anos de repetição e pequenos aprefeiçoamentos.

 

No entanto hoje vive-se uma mania desenfreada  e enchemos os nossos turistas com tudo o que é nosso(Açoreano), seja bom ( a nossa gastronomia)  , ou seja mau (como o nosso vinho).

 Mas se é comum vê-los beber o inenarrável Basalto tinto, quantos destes turistas se vão embora e não comeram um bolo de sertã? ou uns torresminhos de vinha d’alho? ou um belo polvo guisado?

Eu sou pelo pastel de bacalhau fresco!

o verdadeiro!

Como é que ,com mais de 50 restaurantes na ilha não há dois que sirvam os ditos pastelinhos como deve ser?

12 thoughts on “Em portugal não se come mal

  1. Caro Paulo
    No colmeia Grill, só se for os pasteis de bacalhau que safam porque o resto ……..
    Quanto ao arroz de peixe deves estar mal informado á mais restaurantes a faze-lo e bem, só que não devem ser teus clientes de vinhos por isso não falas.
    Este procedimento só te fica mal.

  2. Concordo com a idéia genérica… Até comer um bom bife à cervejaria já escasseia. A Portugália está uma miséria… valha-nos a Lusitana e a Trindade que lá se vão aguentando!

    Já agora para quem quer comer uma “barrigada” de marisco aconselho “com as devidas reservas do costume (qualidade das instalações e um serviço “à vontade”) o American Bar na estrada de acesso da circular da Riberia Grande à Ribeirinha. Na minha primeira incursão provou-se lapas grelhadas, camarão cozido, cracas, búzios, sapateira, camarão gigante grelhado (20 cm na boa), polvo e bacalhau assado em forno de lenha. O bacalhau já não deu para provar mas tudo o resto estava muito bom, acompanhado neste caso por um bem fresco Frei Gigante que caiu muito bem. Lembrem-se apenas de uma coisa ” ninguém dá nada a ninguém” por isso esperem o tradicional tratamento “na conta” que a empresa José Arruda e a sua equipa já nos habituou. Neste caso ficou-se pelos 72 €…

  3. dasssee 72€ pega-te arruda.. e ainda dizem que o gajo está mal…chissa.

    Quanto ao gastronomo: Já que sabes tanto porque é que não dizes quais são? diz lá quais são que a gente vai lá provar a ver se são bons. Eu cá falo do que sei e nunca disse que sabia tudo.homéssa!

    (isso cheira a ressabiamento pelo “toque” que alguns comentadores profissionais levaram no :ilhas)

  4. Então Paulo Pacheco?
    Nem uma Palavra sobre a feira gastronómica na restauração da Lagoa.
    Não apreciaste a ideia?
    Não concordaste?
    Não soubestes?
    Ou simplesmente não quereres comentar?
    É estranho uma vez que andas sempre na linha da frente em “questões de gastronómicas “
    Aguardo o teu comentário.

    Um Abraço

  5. Ao menos tem a ombridade de não tirar os comentarios, que não te são favoraveis.

    imbecil, achas-te o dono da razão e da verdade .
    vê la se deixas o ilhas em paz e posta sozinho neste misero blog.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s